Alimentação-na-gestação-thumbnail

Alimentação na Gestação e Amamentação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A gestação é uma fase extremamente importante e que necessita de cuidados especiais. A gestante passa a se preocupar mais com sua saúde: aumento de peso, escolha de alimentos, atividade física adequada, uso de medicamentos. Então, controlar a alimentação na gestação se torna importante para a gestante.

Enquanto ao aumento de peso, a conduta vai depender das condições iniciais da gestação. Pois se o peso estiver adequado na fase de concepção, o aumento de peso previsto para todo período deve ser entre 9 a 12 kg, sendo 3 kg reservados para a amamentação.

Loading-gestação-alimentação

No entanto, dietas restritas não são recomendas para mulheres que já iniciam a gestação com sobrepeso ou obesidade. Portanto neste caso, é feita uma adequação das calorias, suprindo guloseimas e carboidratos em excesso, mantendo as proteínas e outros nutrientes essenciais.

A evolução do peso deve ser gradativa durante a gestação, com aumento de apenas 1,5Kg nas primeiras 12 semanas, e entre 250 a 400g por semana, nas semanas subsequentes. Para isso, não é necessário acrescentar mais do que 300 Kcal à dieta habitual.

Consequências que podem surgir durante a gravidez:

Náuseas: Comum no primeiro trimestre de gravidez, principalmente pela manhã. Pode evoluir para vômitos, com perda importante de eletrólitos. Tende a desaparecer no segundo trimestre. Para amenizar o problema, deve-se adotar uma dieta mais seca, pobre em gorduras, evitando ingerir líquidos juntos com as refeições. Evitar o jejum prolongado. Opção: biscoitos cream cracker ou 1 maçã.

Constipação: Resulta da redução da atividade física, da motilidade intestinal diminuída, além da pressão aumentada no útero sobre o trato gastrointestinal. Devem ser utilizados alimentos mais ricos em fibras (frutas, vegetais, feijão, alimentos integrais) e consumir maior quantidade de água.

Azia: Também pode resultar da pressão aumentada do útero sobre o estômago. Evitar alimentos cítricos, condimentados, frituras, alimentos com gorduras e bebidas à base de cafeína. Fazer refeições a cada 2-3 horas com volumes reduzidos.

Edema nos membros inferiores: O edema costuma ocorrer após o 5º ou 6º mês de gestação, ocasionado pela compressão do útero, dificultando a circulação sanguínea. Reduzir o uso do sal e de alimentos ricos em sódio, manter o peso adequado, evitar sedentarismo fazendo caminhadas moderadas.

Anemia: Durante a gestação ocorre um aumento do volume sanguíneo, levando a um fator hematócrito e contagem de hemoglobina mais baixos, considerados normais. Se houver uma maior redução das taxas, sem reposição adequada de ferro e acido fólico, pode resultar em anemia.

Mas afinal, qual é a alimentação adequada na gestação?

Nesta fase é importante optar por alimentos ricos nesses nutrientes, tais como vegetais verdes escuros, feijão, carnes magras, fígado e consumir junto alimentos ricos em vitamina C para melhorar a absorção do ferro.

A nutrição exerce um papel importante durante a gestação. Não significa ter que comer por 2, mas sim comer com qualidade, sem excessos, seguindo orientações nutricionais, fracionando o volume em 6 a 7 refeições, consumindo todos os nutrientes necessários para o bebê.

Alimentação-gestação-vitaminas

Durante a gestação, há uma necessidade aumentada de todas as vitaminas e minerais (ferros, cálcio, ácido fólico, vitamina A, C, D complexo B, magnésio, fósforo…). Quando a alimentação é pobre nesses nutrientes, pode resultar em bebês com baixo peso ou prematuros, além de consumir todos os nutrientes do organismo da mãe.

Durante a amamentação, os cuidados continuam em relação à alimentação, hidratação, evitando alimentos fortes e condimentados. As exigências nessa fase continuam focadas na qualidade de nutrientes.

Gostou de saber sobre alimentação na gestação? Tem alguma dúvida? Deixe aqui no seu comentário.

Mais conteúdo para você:

Thumbnail-Mielomeningocele
Dr. Alexandre Rossani

O que é a Mielomeningocele?

A Mielomeningocele é também conhecida como espinha bífida aberta, ou seja, ela é uma malformação congênita presente na coluna vertebral da criança. É uma condição

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *